A adoração de Abel representa Cristo no calvário

Caim era religioso e adorou a Deus

E ali vem Caim, e ele fez sua oferta. Ele adorou. Ele ia à igreja. Ele era simplesmente tão bom quanto o outro sujeito.

Esaú era do mesmo jeito. Esaú, em seu caráter, era homem melhor do que Jacó, mais cavalheiro! Ele amava seu pai; e as coisas que ele fez! Mas Deus escolheu Jacó.

A oferta de Abel

Observe agora quando Abel chegou para fazer sua oferta, bem, foi bastante diferente quando Abel chegou. Aqui veio Abel. Ele não trabalhou, ele não tentou encontrar a maior igreja da cidade para ir nela. Ele não tentou encontrar o melhor grupo de pessoas para se ligar a ele. Amém. Ele simplesmente tomou algo que ele tinha e veio. Isto é tudo. Ele era um pastor. Então ele apenas estendeu sua mão e apanhou um cordeiro, e amarrou…eu suponho que eles não tinham cânhamo naqueles dias, então ele deve ter pego uma videira e apenas a enrolou ao redor de seu pescoço.

Mas de que isto falava? Eles O dirigiram ao Calvário. Ele era o Cordeiro. Disse: “Por que Ele nasceu em um estábulo?” Bem, cordeiros não nascem nas casas. Eles nascem em estábulos. E eles foram dirigidos…eles dirigiram para o matadouro como um cordeiro. E eles conduziram, levando-O ao Calvário. Ele era o Cordeiro de Deus, amém, desde a fundação do mundo. Quando penso nisto, irmão! Ali vem o pequeno cordeiro de Abel. Ali vem o Cordeiro de Deus.

Quando penso nisto, meu coração simplesmente se revolve. Quando eu penso, eu, um pobre, indigno, pecador ímpio, morrendo sem Deus, sem Cristo, no mundo, sem esperança! E no tempo certo Cristo morreu em meu lugar, Aquele formoso, e se tornou desprezado e rejeitado, para que eu pudesse ser aceito diante Dele. Em meu lugar! Oh! Eu simplesmente não consigo deixar de pensar nisto. Eu simplesmente não posso imaginar como Ele poderia fazer aquilo por mim. Quem era eu? Então, você diz: “Ele fez isto por você?” Sim.

O Espírito Santo chegou, me procurou, um dia, e disse: “Ele faz isto por você,” e eu cri Nele. Eu cri Nele. Sim, senhor. Eu O aceitei, e descobri que isto era assim. Não importava que as pessoas dissessem que eles eram, “eles eram fanáticos,” ou seja o que for que eram; eu cri em Deus. E eu…E Ele fez exatamente o que Ele disse.

Eu posso ver o pequeno Abel. Observe agora. Que coisa! Eu posso ver Abel ir e obter esta pequena videira, estender o braço e apanhar um cordeirinho macho, primeiro da velha mãe ovelha, enrolou esta videira ao redor de seu pescoço. Aqui vem ele, arrastando-o. Não há muita beleza nisso, há? Puxando-o ali para cima. Então ele o levou até uma grande rocha, situada ali ao leste do portão. Agora observe.

Caim havia provavelmente trabalhado o ano todo, para produzir a melhor lavoura que podia, pensou que podia agradar a Deus através daquilo.

E muitas pessoas dizem: “Eu vou parar de mentir. Eu vou parar de roubar. Vou parar de fumar. Eu me voltarei para uma classe melhor de pessoas. Eu entrarei em alguma sociedade.”

Aqui está! Deus não está preocupado com você virar uma nova página. Ele quer que você volte seu coração para Cristo, e O deixe fazer por você. Não o que você possa fazer. Não é por boas obras que somos salvos, mas pela Sua misericórdia somos comprados. “Não vem pelas obras, para que ninguém se glorie.” Pois nós somos – pois somos de Deus porque…Não é o que sou, não é o que faço, eu mesmo. É o que Cristo, em Deus, fez por mim e por você.

Observe, um lindo tipo. Aqui vem ele, arrastando o cordeirinho, puxando-o. Eu posso imaginar o companheirinho caindo, provavelmente sabia o que estava próximo, arrastando seus pezinhos. O tipo perfeito de Cristo arrastando a cruz, o Cordeiro de Deus descendo através de Jerusalém, caindo, fraco.

Aqui vem o animalzinho, balindo. E quando ele o levou até a grande rocha, o colocou sobre a rocha, tomou um pedaço de rocha afiada…Eu não sei, creio que eles não tinham facas naqueles dias. O colocou assim. O pegou por trás de sua cabeça, e o puxou assim, pegou a fa-… a rocha, e começou a cortar sua pequena garganta, e a rocha começou a atravessar sua garganta. Naquela rocha morreu o cordeiro, sangrando, balindo, sangue esguichando, suas pequenas artérias cortadas, o sangue voando por toda parte. Sua pequena lã branca ficou vermelha banhada de sangue. Deus olhou lá do Céu , e disse: “É isto. Agora você compreendeu. Esta é a maneira.” O sangue jorrando de suas pequenas veias.

O que foi isto? O Filho de Deus, há mil e novecentos e tantos anos atrás, nesta tarde. Ele foi guiado da prisão. Ele foi levado ao tribunal; e dali, à sala de açoites; dali, para o Gólgota, empurrado pela colina. Simão, o cirineu, ajudando-O levar a cruz. E ali, morreu, na Rocha das Eras, com Seu Sangue tirado Dele. Seu corpo com pisaduras. Aleluia! Grandes escarros dos soldados escarnecedores que cuspiam em Sua face. E Ele disse: “Se Meu Reino fosse mundo, Eu pediria a Meu Pai, Ele Me daria legiões de Anjos que viriam e lutariam por Mim. Mas este não é o Meu Reino.”

“Mas venha o Teu Reino. Seja feita a Tua vontade.” E estará logo aqui. “Venha o Teu Reino. Seja feita a Tua vontade.” Oh, que coisa!

Quando Billy Sunday disse, certa vez, que: “Em cada árvore estava um Anjo,” disse: “Ele só entende sua mão e aponta seu dedo, isto é tudo que terá que fazer. Nós decidiremos a questão aqui.” Oh, se não é verdade!

Caifás olhou, e disse: “Ele salvou outros; e Si mesmo não pode salvar.” Foi o maior elogio que já Lhe foi dado. Se Ele tivesse salvo a Si mesmo, Ele não poderia ter salvado a outros. Então Ele deu Sua vida, para Ele pudesse salvar outros. Aleluia! Amém.

Mensagem pregada pelo profeta William Branham – A crueldade do pecado, e a pena que custou para afastar o pecado de nossas vidas – Parágrafos: 132-156.

Faça o download da mensagem completa em PDF: A CRUELDADE DO PECADO
Esta entrada foi publicada em Adoração e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.