A história da minha vida – A primeira visão

Agora, nós somos — não éramos uma família religiosa. Meu povo é católico. Eu sou irlandês nos dois lados. Meu pai é estritamente irlandês: Branham. Minha mãe é Harvey; só que seu pai se casou com uma índia cherokee, assim sendo isso quebrou a pequena linhagem do sangue dos irlandeses. E papai e mamãe não iam à igreja, e eles se casaram fora da igreja, e eles não tinham religião alguma. E lá longe nas montanhas nem sequer havia uma igreja católica. Assim sendo eles vieram com os colonizadores no começo, dois Branhams vieram, e daí procedeu a geração inteira dos Branhams; é a genealogia da família.

E então ela abriu… Quando eles abriram esta janela e esta Luz pairou ali dentro, eles não souberam o que fazer. Papai tinha comprado (mamãe disse) um macacão novo para este acontecimento. Ele estava de pé com os… seus braços no peitilho do antigo macacão, como os lenhadores e madeireiros usavam naqueles dias. E aquilo os assustou.

Bem, depois que eu tinha dez dias, ou mais ou menos isso, eles me levaram à uma igrejinha batista chamada “Reino do Gambá,” Igreja Batista do Reino do Gambá. É um nome e tanto. Havia um velho pregador itinerante, o antiquado pregador batista passava por ali mais ou menos uma vez cada dois meses. Em… O povo tinha um pequeno culto junto; eles cantavam uns hinos, mas tinham culto de pregação de vez em quando com o pregador itinerante. Eles o pagavam todo ano com um saco de abóboras e umas coisinhas assim, você sabe, que o povo plantava para dar para ele. E o velho pregador passou por ali e ofereceu oração por mim como um menininho. Aquela foi minha primeira viagem à igreja.

Com a idade de mais ou menos, mais ou menos um pouco mais de dois anos de idade, a primeira visão aconteceu.

William Branham - A ordem da igrejaBem, eles contaram lá pelas montanhas que “Esta Luz veio.” Assim eles tentaram compreendê-la. Alguns disseram que havia sido a luz do sol refletindo num espelho dentro da casa. Mas não havia espelho lá dentro. E o sol não tinha saído, pois era muito cedo, cinco horas. E então, oh, simplesmente não fizeram caso Dela. E quando eu tinha mais ou menos, suponho que com quase três anos de idade…

Agora, eu tenho que ser honesto. Há coisas aqui que não gosto de dizer, eu gostaria de ignorá-las e não ter que dizê-las. Mas mesmo assim, para dizer a verdade, você tem que dizer a verdade se for a seu respeito ou de sua gente. Seja honesto quanto a isso, e então é sempre a mesma coisa.

Meu pai estava longe de ser uma pessoa religiosa. Ele era moço típico das montanhas que bebia constantemente, todo o tempo. E ele tinha entrado em apuros numa briga, e dois ou três homens quase se mataram enquanto brigavam, atirando, e cortando um ao outro com facas, em um- algum tipo de festa lá em cima nas montanhas. E papai tinha sido um dos cabeças desta briga, porque havia um amigo dele que tinha se machucado, e tinha batido em alguém com uma cadeira, e tinha… O homem tinha uma faca na mão e ia cortar o amigo do papai no chão com esta faca, no coração, e papai o defendeu. E realmente deve ter sido uma briga terrível, porque eles, desde Burksville, a muitas milhas de distância, mandaram um xerife para lá em busca de papai, à cavalo.

Então o homem estava à beira da morte. Talvez haja alguém da família dele escutando. Vou dizer o nome dele, Will Yarbrough era o nome dele. Eles provavelmente… Creio que alguns deles estão em Califórnia, dos filhos dele. Mas ele era um valentão, homenzarrão forte, matou seu próprio filho com um mourão de cerca. Assim ele — ele era um homem muito forte e mau. E assim houve uma grande briga de faca entre ele e papai. E meu pai quase matou o homem, então ele teve de fugir e sair de Kentucky e atravessar o rio para Indiana.

E ele tinha um irmão que morava, naquele tempo, em Louisville, Kentucky, era o superintendente assistente das Serralherias de Madeira Mosaica em Kentucky, em Louisville. E assim papai veio a encontrar seu irmão mais velho. Papai era o mais novo dos filhos, de dezessete filhos. E assim ele veio a encontrar seu irmão mais velho, e enquanto ele esteve lá por quase um ano. Ele não podia voltar, porque a lei estava atrás dele. E então quando tivemos notícias dele por carta, assinada com outro nome, mas ele tinha dito à mamãe como seria que ela teria notícias dele…

E então eu me lembro de um dia na nascente (esta cabana pequena ficava bem atrás da casa.) E — e durante aquele tempo depois de… Havia nove — onze meses de diferença entre eu e meu irmão mais novo, e ele ainda estava engatinhando. E eu tinha uma pedra grande na mão, e eu estava tentando mostrar quão forte eu podia atirar esta pedra na velha lama, de onde a nascente tinha corrido no chão e formado um lamaçal. E eu ouvi um pássaro, e estava cantando em cima duma árvore. E olhei para aquela árvore e o pássaro voou, e, quando voou, uma Voz falou comigo.

Agora, eu sei que você acha que eu não poderia pensar e me lembrar disso. Mas o Senhor Deus, Que é Juiz, da terra e céus e tudo o que há, sabe que estou dizendo a verdade.

Aquele pássaro, quando voou, uma Voz veio de onde o pássaro estava na árvore, como um vento enroscado no arbusto, e Ela disse: “Você viverá perto de uma cidade chamada New Albany.” E tenho vivido desde o tempo que tinha três anos de idade até agora, dentro de três milhas [Cinco quilômetros-Tradutor] de New Albany, Indiana.

Eu vim para dentro e contei para minha mãe a respeito disto. Ora, ela pensou que eu simplesmente tivesse sonhado ou algo assim.

E mais tarde nós mudamos para Indiana e papai foi trabalhar para um homem, o Sr. Wathen, um homem rico. Ele é dono das Destilarias Wathen. E ele possuía grandes ações. Ele é um multimilionário do golfe de Louisville e — e beisebol, etc. E então morávamos ali perto. E papai sendo um homem pobre, todavia não podia ficar sem beber, então ele — ele começou a fazer uísque num — num alambique.

E então isso foi um sofrimento para mim porque eu era o mais velho dos filhos. Eu tinha que vir e carregar água para este alambique, para conservar aqueles tubos em espiral frios enquanto faziam o uísque. Então ele começou a vendê-lo, então ele conseguiu dois ou três daqueles alambiques. Agora, essa é a parte que não gosto de contar, mas é a verdade.
Mensagem pregada pelo profeta William Branham: A história da minha vida – Parágrafos: 48 ao 62

Esta entrada foi publicada em Esperiências do profeta. Adicione o link permanente aos seus favoritos.