A Presença de Deus não Reconhecida

E meu texto esta noite é: A Presença de Deus não Reconhecida. Ontem a noite estávamos falando de Jesus ser O mesmo ontem, hoje, e eternamente, e vimos que Ele era o
mesmo ontem, hoje, e eternamente. Agora Sua Presença, se Ele é o mesmo, não e reconhecida. Leiamos. Então, alguns dos escribas e dos fariseus tomaram a palavra, dizendo: Mestre, quiséramos ver da tua parte algum sinal. Mas ele lhes respondeu e disse: Uma geração má e adúltera pede um sinal, porém não se lhe dará outro sinal, senão O do profeta Jonas, Pois, como Jonas esteve três dias e três noites no ventre da baleia, assim estará o Filho do Homem três dias e três noites no seio da terra. Os ninivitas ressurgirão no Juízo com esta geração e a condenarão, porque se arrependeram com a pregação de Jonas.

E eis que está aqui quem é mais do que Jonas. E a rainha do Sul se levantará no Dia do Juízo com esta geração e a condenará, porque veio dos Confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. E eis que está aqui quem é mais do que Salomão.

A Presença não reconhecida! O que estas pessoas poderiam estar pensando? Deus tem sempre, tem sido assim toda vez que Ele vem. Quando Jesus esteve aqui a primeira vez, Ele disse: “Vós — vós caiais e adornais os muros e os túmulos dos profetas, e vós os pondes ali.” Veja, algo acontece, e passa. “E Deus oculta isto dos olhos dos sábios e instruídos, e o revela aos pequeninos, os quais aprenderão.” Jesus agradeceu ao Pai por fazer tal coisa. Está vendo? Passa bem junto às pessoas e elas não o sabem.

Por exemplo, vocês, católicos aqui esta noite, se lembram, faz alguns anos, de Joana d’Arc, na França, a pequena dama que era realmente. . .Ela guiou os revolucionários na França, mas ela era realmente uma — uma serva de Cristo. O que sua igreja fez a ela? Queimou-a numa estaca, como bruxa, porque tinha visões e era espiritual. A igreja católica a queimou, como bruxa, numa estaca, porque ela era espiritual e tinha visões. Alguns anos mais tarde, eles descobriram que aquela mulher era uma santa. Assim, naturalmente, vocês fizeram grande penitência, desenterraram os corpos daqueles sacerdotes que a condenaram e a queimaram, e os lançaram no rio. Naturalmente que vocês fizeram grande penitência por isso, por desenterrar os corpos destes sacerdotes.

Agora, nos dias dos profetas, o que aconteceu? Fizeram a mesma coisa. Não os reconheceram até que já tinham vindo, o ministério tivesse terminado, tirou daquilo os Eleitos, e então depois que se foram, eles reconheceram que tinha havido um profeta entre eles.

Jesus, Ele veio à terra. Ele era dotado, dentro Dele, do Deus Pai. “Eu e Meu Pai somos um. Meu Pai habita em Mim. Não sou Eu que faço as obras, mas Meu Pai. E se não faço as obras de Meu Pai, não Me acrediteis.” Agora, se você notar quando Ele veio, cerca de um — um nonagésimo do mundo soube que Ele até mesmo estava na terra naquela época, e ainda assim o Salvador do mundo. E então eles nunca reconheceram Quem Ele era, nem a igreja, nem mais ninguém, praticamente, a ponto de O terem crucificado, sepultado, e ressuscitado ao terceiro dia, antes de chegarem a saber Quem Ele era.

Vem e vai, e as pessoas não o reconhecem até que tenha passado, e, elas, porque nunca se ajusta a sua teologia, nunca se ajusta à hora do dia. Veja, o que é isto, elas estão sempre vivendo num brilho de outra era, sempre.

A razão por que não aceitaram Jesus, era porque estavam vivendo no brilho da Lei. E quando Jesus veio, não foi contrário à Lei, mas veio cumprir a Lei, bem, eles não puderam aceitá-Lo porque Sua Mensagem não estava exatamente da maneira que eles tinham formado credos de tudo, e isso era então chamado tradições. E Ele não veio conforme as tradições deles. Ele não guardou as tradições deles. E na verdade Ele as desconcertou, e as dilacerou, e — e fez coisas que eram contrárias a elas, tanto que pensaram que Ele estava dispersando as igrejas. E não puderam recebê-Lo por causa de Sua Mensagem. E todos sabemos hoje que Ele veio exatamente na linha da profecia de Deus, mas não souberam disto então.

E poderia acontecer novamente, e não o saberíamos. Eu imagino que se Ele realmente aparecesse esta noite, seria tão contrário ao que todos temos imaginado em nossos quadros e em nossas escolas e coisas tais. Haveria mui poucos que reconheceriam o que está sucedendo. Ele disse que seria assim, como Ele vem.
Agora, Jesus estando ali tão biblicamente identificado pelas Escrituras, e os escribas e fariseus daquele dia não puderam reconhecê-Lo. Por que eles não, por que não o fizeram?

Porque tinham imaginado de alguma outra maneira. Foi ali que Jesus lhes disse: “Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a Vida Eterna, e são elas que de Mim testificam.” Está
vendo? Agora Ele vem exatamente de acordo com as Escrituras. Mas eles tinham imaginado, talvez, que se Ele viesse, o Messias provavelmente faria o que Moisés fez, ou o que Noé fez, lhes construiria uma arca ou alguma outra coisa. Mas, porque Ele veio da maneira que veio, eles não tinham imaginado; nas Escrituras com as tradições deles, não lhes ensinava; assim as pessoas estavam tão confusas que não sabiam o que estava sucedendo.

A Palavra de Deus é pregadaSerá que isso poderia acontecer novamente? Será que poderia ser diferente do que nossas tradições nos têm ensinado? E poderia vir, e algo passaria e nunca nem mesmo saberíamos até que tivesse passado, e então teria terminado. E mais ou menos assim que vira.
Você sabia que quando João Batista entrou em cena, aquilo tinha sido predito desde o Livro de Isaías, centenas de anos? Cerca de oitocentos anos, Isaías profetizou, eu acho, antes da vinda de Cristo. Você sabia que João veio exatamente da maneira que Isaías disse que viria, que ele veio exatamente da maneira que Malaquias disse que viria, e nem mesmo os apóstolos reconheceram? Certo dia, em Mateus 11, João estava na prisão; e os apóstolos, alguns dos seus discípulos foram perguntar a Jesus se Ele era o Tal, ou — ou deviam esperar outro.

Agora note, Jesus não lhes deu um livro de como se comportar, como se comportar na prisão, ou de como conduzir seu caráter. Ele disse: “Ficai e observai o que acontece, e ide
anunciar a João as coisas que vistes acontecer.” Essa foi a evidência de que a… Ele era aquela Palavra,

E agora lembre-se, a Palavra sempre vem a um profeta. Todos sabemos disso. Deus não faz nada sem mostrar aos Seus profetas. Essa é a razão por que o Livro do Apocalipse de Jesus Cristo é a total plenitude de Cristo aqui mesmo diante de nós, o Livro. Agora Ele terá de enviar um, alguém para confirmar esse Livro, revelá-Lo, abrir os Selos, e assim por diante.

Mas quanto a alguma revelação adicional de Cristo, já está reconhecido bem Aqui. Ele é a plenitude Disto, da Revelação. Agora note, isto nunca falha, mas a Palavra vem ao profeta.
Veja João de pé na água, predizendo, o profeta, que o Messias estava exatamente naquele momento entre eles. Ele disse: “Há Um que Se encontra entre vós agora, que vós não
conheceis; Ele vos batizará com o Espírito Santo e Fogo.” Agora lembre-se, Ele Se encontrava exatamente entre eles, a Bíblia disse assim, e eles não reconheceram. Um dia quando Jesus veio caminhando, João O reconheceu, e disse: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo.” Agora observe, antes que fosse reconhecido por alguém, Ele veio ao profeta. Ele era a Palavra. João era profeta.
Mensagem: A presença de Deus não reconhecida, parágrafos: 6-19

Faça o download da mensagem completa em PDF: A PRESENÇA DE DEUS NÃO RECONHECIDA

Esta entrada foi publicada em Divindade - Deidade. Adicione o link permanente aos seus favoritos.