Cometi adultério e quero consertar e confessar ao meu marido

Uma mulher comete adultério

Como confessar que cometi adultério?

Se uma mulher comete um erro com um – um homem casado, se arrepende e o corrige com seu esposo conforme a escritura, tem ela que ir à esposa do homem envolvido, mesmo se esta esposa não saiba de nada disso; ou é obrigação do homem dize-lo primeiro, ou é necessário que ela seja ferida de todo? Até onde podemos ir com esta restituição quando terminada e feita, e quando esta envolve a amizade?

Confesse seu erro a seu marido

Bom, minha querida, irmã, só há uma coisa que tens feito que está correta. Estiveste envolvida, imagino ou esteve envolvido alguém que conheces, num ato mal, que tens tomado o companheiro de outra mulher e tiveram um ato social. E quando o fizeste, aí caíste de tua graça. Então te arrependeste e não podes arrepender-te até que voltes a este varão e o corrijas. Tens que juntar teu esposo e ir e este homem, o qual fizeste. E essa era a coisa que devias haver feito, isso é Escritura – devias faze-lo.

Não faz muito tempo uma senhora veio a mim daqui mesmo de Louisville, que… Ela é uma jovem. Ela andava com um homem e – e então ela… soube que estava fazendo mal. E deixou a cidade e se foi a outra cidade bem longe e mudou seu nome, vivia com alguma gente. E este homem a seguiu e quando chegou ali lhe disse que tinha a prova de sua culpa. Ela ainda teria que permanecer sendo sua esposa consensual ou ele diria aquilo. (E quando ela estava ali, se casou com um bom homem cristão). E disse que se ela não vivesse com ele, ele divulgaria a coisa completa – a ameaçou, portanto tinha que viver com ambos os homens, o que fez mal, em lugar de no princípio mostrar suas verdadeiras intenções.
E teve um bebê e agora a menina tem como que 18 anos de idade e deles na verdade não sabe qual é seu pai. Agora ela entra na menopausa e isto lhe apanha. Agora, que pode fazer ela?
Eu disse: “Há somente uma maneira…”
Ela disse: “Se digo isto a meu esposo, me deixará e se eu – se minha filha sabe disto se suicidará”.

Seja honesta com seu esposo

E eu disse: “Irás ao inferno se o retiveres em teu coração. Agora, faça o que lhe convier”. Somente há uma coisa a fazer, é ter tuas mãos limpas. Isso é exatamente correto. Seja honesta.

Sabes, muitas vezes nas visões, como vem as pessoas, homens e mulheres; o Espírito Santo esquadrinha essas coisas que tem feito na vida. Você o tem ouvido e o tem visto, vocês sabem. Vêem? – e lhes diz essas coisas que eles tem que fazer.
Eles dizem: “Bom, eu – já eu o tenho acertado com o Senhor”. Porém se deves a teu marido ou a tua esposa, vá e diga-lhe. Isso é certo. Estás suposto a confessar isso.

Agora, esta pessoa; se ela é a culpada, ela o fez, foi a seu esposo. Agora, você se tem livrado da culpa irmã, porque entre… Você adulterou contra seu esposo. Foste a teu esposo e te livraste de culpa. Estás livre. Se teu esposo continua – quer viver contigo, isso está de sua parte. Ele não tem que faze-lo agora, porém ele – porém se ele quer viver contigo e te perdoa, seja pois suficiente dama para nunca mais ser culpada de tal coisa. Porém se ele não te perdoa, então esse é seu – esse é negócio seu. Ele pode te repudiar. Exatamente correto.

Mas agora, o homem com o qual tiveste o ato, agora, ele é o que tem que ir a sua esposa e trazer a sua esposa e regressar a você. Fizeste tua parte, agora é a vez dele fazer sua parte. Vê? O segundo interessado.

Esta mulher teve o ato com o homem e corrigiu com seu esposo, o confessou e o acertou. Agora, o próximo homem também era um homem casado; agora, ele tem que ir a sua esposa e tomar a sua esposa e regressar a esta esposa. Então está bem. Vêem o que digo? Está acertado então. Porém fora disso, todavia serás culpada e no profundo em teu coração serás condenada.

Não faz muito ali tive uma mulher que tinha isso desde a Primeira Guerra Mundial.
E ela disse: “Oh, irmão Branham!”
Ela havia gastado centenas de dólares em psiquiatras e tudo. Estive ali assentado observando-a naquele quarto. Meda a trouxe a mim. Ela estava assentada ali esfregando um lenço em suas mãos nessa forma, disse: Sinto que o mundo vai explodir e eu…”, tudo nessa forma.
Apenas permaneci ali assentado. Eu disse: “Agora há algo acerca… Você tem algo em algum lugar em sua vida?”
“Não, sou professora e Escola Dominical”.
Eu disse: “Muito bem”. Permaneci ali assentado um pouquinho e observei. Eu disse: “Vejo um pequeno automóvel verde e você está com um homem ruivo e um trem de ferro quase tocando o automóvel”.
…?… Ela disse: “Não diga isso a ninguém”.
Eu disse: “Neste tempo seu esposo estava no exército”.
Ela começou a chorar, saltou: “Não diga a ninguém!”
Vêem? Isso estava bem profundo em seu subconsciente.
Ela disse: “Faz tempo que confessei isso a Deus”.

Devo confessar o adultério a ele ou só para Deus?

Eu disse: “Porém espere um minuto. Você nunca fez mal contra Deus. Você fez mal contra seu voto matrimonial. Tens que regressar a teu esposo e primeiro acertar isso”.
Ela disse: “Ele me deixará”.
Eu disse: “De todos os modos Deus tem te deixado. Portanto agora, qual queres que te deixes”. Eu disse: “Vá a ele”.
Ela disse: “Oh, eu – eu … Ele fará isto, e tenho dois filhos”.
Eu disse: “Bem, isso é tudo o que posso dizer-lhe. O psiquiatra nunca tirou isso de você, mas o Espírito Santo tem revelado, e nunca a tenho visto em minha Vida”.
Ela disse: “Isso é exatamente correto!” Disse: “Bom, eu… eu absolutamente não posso dizer isto a ele”.
Eu disse: “Bom, eu… Muito me agrada haver-lhe conhecido”. Prossegui ao outro quarto, e ela regressou aqui dentro.
Meda disse: “Ela quer te ver outra vez ai dentro”.
Entrei ali, e disse: “Que deseja?”
E ela disse: “Irmão Branham, não posso dizer isso a meu marido”.
Eu disse: “Seu esposo é um homem de cabelo negro”.
“Sim”.
Eu disse: “Ele tem que confessar-te a mesma coisa”.
Ela disse: “Oh, não, meu esposo!”
Eu disse: “Melhor é que te vás e consigas traze-lo aqui”. Eu disse: “Você conhece a certa mulher que usa um vestido rosa, que trabalha no escritório em certa classe de companhia de automóvel?”
Ela disse: “Seguro”
Eu disse: “Não a chamam de certo nome em particular?”
“Sim!”
Eu disse: “Faz duas semanas se assentaram sob uma árvore de faia com um – assentados num pequeno automóvel Chevrolet cor escura com número de placa tal e tal, e estiveram no mesmo ato”.
Ela disse: “Meu esposo, não!”
Eu disse: “Muito bem, vá, chame-o e venha aqui”.
Ela se foi. Nuns poucos minutos, regressaram. Ele disse: “É certo”.
Eu disse – eu disse: “Vê você? Agora vá e diga a Deus”.

Porém primeiro, quando vires ao altar e recordares que deveria acertar isso primeiro… E enquanto este outro interessado aqui for culpado de não contar à sua esposa… Esta esposa se tem livrado. agora está da parte dela e de seu esposo. Porém este outro homem e sua esposa tem que vir livres de culpa nisso. E você não pode… Não importa o que faças, te perseguirá enquanto viveres, até que confesses. Só há uma forma de faze-lo: Confessar isto. Ainda que te esfole, de todos os modos faça-o. Diga a verdade, então o tens acertado. Amém!

Posso ouvir a muitos na gravação, dizendo: “Isso está errado”. Porém trate você uma vez e veja se não o é. Muito bem.
Mensagem: Perguntas e respostas N° 2 – Parágrafos: 81 ao 93

Esta entrada foi publicada em Namoro e Casamento e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.