Deus preparou cada coisa antes do nascimento de Jesus

Meu texto esta manhã encontra-se no Novo Testamento. Primeiro haverá uma leitura da Escritura em Mateus 1… capítulo 2, começando com o versículo 1. E então desejo também tomar como texto, do capitulo 4 e, os versículos 14 e 15. Eu gosto demais de ler a Palavra, porque a Palavra é Deus.
E, tendo nascido Jesus em Belém da Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do oriente a Jerusalém,
Dizendo: Onde está aquele que é nascido rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no oriente, e viemos a adora-lo.

Então no capítulo 4 e versículo 14, falando concernente ao profeta.
Para que se cumprisse o que foi dito pelo profeta Isaías que diz:
A terra de Zebulom e a terra de Naftali, junto ao caminho do mar, além do Jordão, a Galiléia das nações;
O povo, que estava assentado em trevas, viu uma grande luz; e aos que estavam assentados nas regiões das sombras da morte a luz raiou.

Eu desejo tomar meu texto da… como este: A Grande Luz Resplandecente. É uma escritura muito incomum.

Slide339_zps3b6f79bfE, para esta ocasião, as pessoas normalmente tem pregado tanto sobre “nenhum lugar na estalagem,” na época natalina, e “José e Maria”, e – e “o nascimento do Senhor Jesus”. Ontem eu estava pensando em tentar abordar isto de modo diferente, pois muitos de vocês ouvem seu rádio e televisões.

E enquanto pensava, isto veio à minha mente, a respeito dos magos e a estrela. E o que me ocorreu foi que, o que um mago tem a ver com Cristo? Portanto, lendo dos muitos eruditos antigos, ontem à noite, tarde, cheguei a adormecer na escrivaninha, tentando achar algo que esclarecesse um pouco o assunto de hoje.

Então, é uma coisa comum falar destas coisas, porque, afinal, Deus é incomum. Deus faz coisas de uma maneira incomum, e algumas vezes em um tempo incomum, porque Ele é muito incomum. E aqueles que O servem são incomuns; eles são um povo peculiar.

Assim, enquanto nós, nesta época natalícia, enquanto focalizamos nosso pensamento no Natal, é uma pena termos de compartilhá-lo com um mito chamado “Papai Noel”, em lugar do verdadeira Natal que deveria ser. Muitas criancinhas hoje no país só sabem que o Natal significa “um trenó cheio de brinquedos, e algumas renas místicas dando pulos sobre a casa”, só para acabar sabendo mais tarde que isto é um mito, a ponto de até prejudicar a fé deles, quando ficam sabendo da verdadeira história do Natal, que não teve nada a ver com renas, ou com um homem fumando um cachimbo, com peles ao redor de seu casaco.

Foi o nascimento de nosso abençoado Senhor Jesus. E é muito incomum ver Deus operar desta maneira, porque em nenhum outro tempo jamais teria funcionado, em toda a história do mundo. Tinha que ser exatamente neste tempo. E agora vamos olhar um instante de maneira certa para a época.

Era um tempo que Herodes, o assassino, era rei. Tinha que ser este homem sem coração tinha que ser rei na ocasião, pois estamos familiarizados com as Escrituras que dizem que ele “mandou matar todos os meninos de dois anos para baixo”, tentando achar o Cristo. E tinha que ser exatamente naquele tempo.

E então tinha que ser, na ocasião, que tinha q surgir um recenseamento, para fazer Maria e José voltarem à sua cidade natal de Belém onde eles estavam registrados, e seus nascimentos estavam no registro das cortes e no templo, para se alistarem. E Cristo era para nascer em Belém, e eles estavam a muitas milhas de distancia quando isto aconteceu.

E nós estamos informados dos perigos que eles tiveram de atravessar, a fim de chegar lá. Agora, não tinham uma ambulância grande e suntuosa para levar Maria até lá. E não era como hoje, quando poderíamos ter algum tipo de desculpa. Era a ordem do rei. Não se dá desculpa. Isso deve ser cumprido. “O rei assim disse!” Não importava suas condições, ou o que fosse, eles precisavam retornar à sua terra natal. Não havia conforto para a pequena mãe grávida. E nenhuma maneira de viajar; somente a pé, ou sobre o lombo de um pequeno jumento.

E nos disseram que José tomou Maria, esta mãe que estava para dar à luz a qualquer hora, e assentou-a sobre o lombo de um pequeno jumento. E se alguém já montou um jumento, sabe que viagem dura é essa. O animalzinho, ao longo de uma trilha estreita que serpeava sobre as montanhas, chegando a Belém, da baixa Judéia,m uma estrada muito dura e acidentada. E se o pequeno jumento não tivesse sido de andar seguro, e tivesse caído com esta pequena mãe grávida?

Ou, nos dias em que havia tanto tráfego vindo para suas terras natais, todo o país estava trabalhando, ativo com peregrinos e viajantes, de volta à terra natal, uma situação muito favorável para ladrões naqueles dias. Quando eles vissem as pequenas caravanas de pessoas modestas; os cavaleiros, os ladrões poderiam bem ter chegado e matado a eles, e tomado seus bens e ido embora. Que coisa foi para este jovem casal, que eles tiveram de enfrentar, e como isto teria sido!

Também, e se algumas das bestas selvagens, ente as quais havia leões e muitos animais selvagens destruidores que vagavam nos desertos que eles tinham que enfrentar. E se uma besta selvagem tivesse se dirigido em direção aos dois, o que poderia José ter feito com um bastão na mão, e uma esposa que mal podia se mover? Eles tinham isto para enfrentar.

Mas nos dá consolação saber isto, que nós não temos nosso destino nas mãos. Deus tem nosso destino nas mãos. E Ele ordenou que fosse assim, e não há nada que jamais interromperá o programa de Deus. Havemos de chegar.

E não era para haver qualquer temor. E todavia, talvez Maria e José, eles próprios, simplesmente pessoas comuns, não instruídas. E eles não tinham como saber que estas coisas, que estavam acontecendo bem naquele tempo, eram cumprimento das Escrituras.

E é a mesma coisa hoje. As coisas estão acontecendo bem neste dia em que estamos vivendo, e muitos, de nós, não sabem nada a respeito de como Deus está se movendo.
Mensagem: A GRANDE LUZ RESPLANDECENTE – Parágrafos: 1 ao 17

Esta entrada foi publicada em Natal e marcada com a tag . Adicione o link permanente aos seus favoritos.