Deus proveu o Cordeiro

O cego Bartimeu

Havia um velho homem cego na Bíblia, pelo nome de – de Bartimeu. O velho cego Bartimeu, ele tinha duas pombinhas, a história nos diz. Pois estas pombinhas demonstravam e davam pequenas cambalhotas uma sobre a outra, e o povo – segurava seu…Ele segurava seu caneco, e então quando o – o passava, eles olhavam estas pombinhas dar suas cambalhotas, e eles colocavam moedas para o velho cego mendigo. Ele era um homem casado e tinha uma filhinha. Ele nunca tinha visto a gatinha, em sua vida. Ela tinha uns doze , quatorze anos, no estágio que estamos agora para entrar em sua vida. E ele estava assentado…

O sacrifício oferecido pelo cego Bartimeu

Certa noite, dizem que sua garotinha ficou doente, e ele foi até ao Senhor. E ele disse: “Senhor, se Tu apenas curares minhas garotinha, eu sacrifiquei minhas duas pombinhas para Ti amanhã.” Então eles…O Senhor curou sua garotinha, e ele sacrificou as duas pombas. Após algum tempo, sua…

William Branham - CasamentoE de repente, sua querida esposa ficou doente, e ela pensou que ia…Eles pensaram que ela ia morrer. Então ele saiu até ao Senhor, à noite, tateando seu caminho ao lado do muro de sua casa. Se ajoelhou no campo, e disse: “Deus, Deus, se Tu poupares a vida de minha esposa, amanhã sacrificarei meu cordeiro a Ti.”

Agora, vocês já viram cegos sendo guiados por um cão hoje. Eles treinam esses cães para guiá-los. Naqueles dias, eles treinavam ovelhas para guiar as pessoas, e então ele tinha um – um – um cordeiro que o guiava por ali.

 

O segundo sacrifício de Bartimeu ao Senhor

E ele disse: “Senhor, se Tu curares minha esposa, bem, então, amanha eu sacrificarei meu cordeiro a Ti.” E sua esposa ficou boa.

E no dia seguinte ele estava subindo para o templo, e o sumo sacerdote, Caifás, se levantou e disse: “Cego Bartimeu, para onde você está indo?”

Ele disse: “Estou indo para o templo, ó sumo sacerdote, para sacrificar o meu cordeiro. Eu prometi ao Senhor, se Ele curasse minha esposa, eu daria meu cordeiro.”

Veja a lealdade do cego Bartimeu

Ele disse: “Você não pode dar esse cordeiro, Bartimeu, porque esse cordeiro é seus olhos.” Disse: “Eu lhe darei um dinheiro, e você compra um cordeiro com os vendedores no templo.”

Porém Bartimeu disse: “Ó sumo sacerdote, eu nunca prometi a Deus um cordeiro, eu prometi a Ele este cordeiro.” Oh, que coisa!

Eu gostaria de saber se você fez promessas assim. E se você vir aquele todo-suficiente Cordeiro esta noite, pense: “Senhor, se Tu me curares, eu Te prometo que Te servirei; eu farei tudo que puder. Se Tu deixares meu filho viver…” Ou, quando você estiver ali e sua mãe indo para a sepultura, ou seu pai ou seus queridos: “Ó Deus, eu me encontrarei com eles, eu me encontrarei com eles novamente!” Eu gostaria de saber se isso realmente teve significado para você. Eu gostaria de saber se esta Páscoa vai chegar e passar sem você cumprir o que prometeu.

Ele subiu e ofereceu seu cordeiro. Voltou, com alguém o guiando.

Assim ele disse então, quando ele voltou, disse: “Batimeu, você não pode fazer isso.” O sacerdote que foi tomar seu cordeiro, ele disse: “Você não pode fazer isto. Você não pode sacrificar este cordeiro.” Disse: “Cego Bartimeu, você sabe que esse cordeiro é os seus olhos?”

Ele disse: “Sim, eu sei disto. Mas eu prometi a Deus, e Deus proverá um cordeiro para os olhos do cego Bartimeu.”

Não muito depois daquilo, ele estava tremendo de frio, um dia; eles ouviram um barulho. Deus havia provido um Cordeiro para os olhos do cego Bartimeu. Ele veio descendo a rua. Ele disse: “Que é todo este barulho?” Geralmente há barulho onde Ele está. Disse: “Que é todo este barulho?”
Ele disse: “Um, Jesus de Nazaré, passou.”

Ele jogou seu manto, não vendo para onde ia; ele não se importou então. Deus havia provido um Cordeiro. Ele chegou até ao Cordeiro. Ele disse: “Ó Jesus, Tu, filho de Davi, tem misericórdia! Tem misericórdia!”

O povo rico e aqueles que estavam ao redor, para se aproximarem do profeta, do rei; ele disse: “Oh, fique quieto, não dá para Ele ouvi-lo.”
Ele gritou ainda mais.

Alguns deles disseram: “Os dias dos milagres já passaram. Não há tal coisa como naquele dia.”

Ele clamou mais alto: “Tu, filho de Davi, tem misericórdia de mim! Tem misericórdia de mim.” Deus proveu o Cordeiro.

Aquele mesmo Cordeiro Ele proveu para os olhos do cego Bartimeu, Ele proveu para você; há mil e novecentos e tantos anos atrás, hoje, enquanto Ele subia o Gólgota, ali, e Se ofereceu, todo moído e golpeado.

Ouça, amigo. Recorde, Abel foi até seu rebanho e apanhou o cordeiro, e o matou na pedra de sacrifício. E…[Espaço em branco na fita – Ed.]…é melhor você captar isto agora. Abel morreu na mesma rocha que seu cordeiro morreu.

Está você disposto, esta noite, e morrer para si mesmo? Está você disposto a morrer para todos os seus próprios pensamentos? Apenas deixe na rocha, com seu Cordeiro ali, e morra. Diga: “Ó Deus, tem misericórdia.” Quando penso em homens e mulheres que pensam na vaidade, moços e moças que entregaram suas vidas a certas coisas! E homens de idade, também, pensando em seu trabalho, em seu prestígio e em sua vizinhança, ou algo assim!

Eu quero Jesus em meu coração

Oh, por que você não se arrasta até o Calvário, esta noite? Aleluia! Que sua própria vida possa ser golpeada, e morra na cruz com Ele. Lance seus braços ao redor da “Rocha das Eras, fendida por mim, deixa-me esconder em Ti. Enquanto próximas, as velhas águas rolam, enquanto a tempestade está forte, esconde-me, oh, meu Salvador, esconde-me. Deixa o mundo fazer o que quiser. Deixa os teólogos fazerem o que quiserem; eu não quero a teologia deles. O que eu quero é Jesus Cristo em meu coração. Deixa-me morrer em meu Cordeiro.”

Oh, eu sei quão difícil foi aquela noite quando entrei naquela pequena, velha missão de negros ali, e todo o pessoal branco ali ao redor de pé, disse: “Ali vai ele para uma missão de negros.” Foi difícil. Eu entrei ali com bastante orgulho de Kentucky em mim, assim, mas Deus disse: “Se você O deseja, entre bem ali.” E eu entrei ali e me ajoelhei no altar, e ali fiquei até o Cordeiro…Eu morri para o velho eu, Bill Branham, vinte anos atrás. Aleluia!

“Eu fui crucificado com Cristo. Ainda estou vivo; não eu, mas Cristo vive em mim.” Algum dia naquela gloriosa ressurreição, quando Ele chegar, meu corpo poderia estar descansando num terreno coberto de grama ali. Mas quando isto acontecer, você verá o gramado se abrir e eu sairei, em Sua grande e gloriosa imagem, além de muitos deles, aleluia, pois eu O conheço no Poder de Sua ressurreição.

Eu espero que isto seja o que cada um de vocês faça, esta noite, arrastar-se até o Gólgota, esta noite. Vamos fazer uma viagenzinha agora.

Enquanto, queira nos dar o tom, fazendo o favor, irmã, do Mais Perto Quero Estar, Meu Deus de Ti. Enquanto estamos…

Você diz: “Esse é para funeral.” Bem, irmão, se alguma vez houve um tempo que precisamos de funeral, é bem agora, quando os homens morram para si mesmos e para o orgulho.
Mensagem pregada pelo profeta William Branham – A crueldade do pecado, e a pena que custou para afastar o pecado de nossas vidas – Parágrafos: 162-188.

Faça o download da mensagem completa em PDF: A CRUELDADE DO PECADO

Esta entrada foi publicada em Adoração e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.