Deus te dá asas para escapar do perigo

Então, um dia lá em cima, lá em cima da montanha, havia — havia um velho fazendeiro que éramos bons amigos, um bom caçador. E ele tomou o cavalo de carga e foi até a bifurcação oeste. E eu estava lá embaixo na bifurcação leste, onde chamávamos de Corral Peaks. Não havia nevado ainda, e, o suficiente para permanecer. Era cedinho. E a tempestade de neve não havia chegado, então os animais estavam lá em cima.

Vejo Deus na natureza

Amarrei o meu cavalo e tive um dia de viagem ali em cima ao redor, perto da floresta. Então, suba, numas destas tempestades do outono. Talvez choverá o mais que puder chover, então granizo, e depois neve, então o sol sai, e então chove outra vez. (Você sabe como é no outono.) E lá veio uma tempestade. E eu estava bem lá em cima, na floresta. E é muito difícil encontrar uma trilha. Então, eu estava — fiquei detrás de uma árvore como que acocorado atrás de uma árvore assim. (Embora esta seja uma expressão horrível.) Mas, eu estava atrás de uma árvore, coloquei o meu rifle no chão. A tempestade passou. E depois que a tempestade passou, ficou frio enquanto a tempestade estava passando. E choveu muito forte. E depois que a tempestade passou, eu estava lá de pé pensando a respeito de Deus. Eu pensei, “Oh, Deus, quão maravilhoso és Tu.” Eu sempre vejo a Deus na natureza. É ali onde você O vê. Eu pensei, “Tu és tão maravilhoso, Senhor. Oh gostaria que Tu simplesmente descesse sobre mim aqui e me deixasse ir daqui para casa.” Eu pensei, “Deixe…” Quando eu morrer, recite para mim a oração do Indio quando eu morrer: “Senhor Deus, grande Pai Espírito, que Ele possa percorrer as longas trilhas de caça e encontrar com Seus amados naquele lado.” Eu pensei, “Sim, Senhor, deixe-me ir a uma terra como esta quando eu deixar este mundo.”

William Branham e a aguia e o cavaloE enquanto eu estava ali de pé; a tempestade havia cessado. E eu estava estudando bastante, então levantei, olhei ao redor. E aconteceu de eu observar, pois eu olhava através daquele lado em direção ao oeste, em direção ao Oregon deste lado, e as fendas nas montanhas, já era bem de tarde. E o sol vindo dali como um grande olho, como Deus: “Os Seus olhos estão nos pardais.” Pensei, “Oh, Deus, aí estás no pôr do sol.”

E então olhei e onde a — a chuva havia congelado nas sempre-vivas, ali formava um arco-íris, através do vale. Lá em cima no topo da montanha o velho lobo cinzento uivava. E o companheiro respondia lá de baixo. O velho alce macho começou a mugir. Ele se perdeu durante a tempestade assim. Você fala a respeito do fundo que clama ao fundo. Oh, que coisa. Pensei, “Por que tenho eu que deixar este lugar? Isto é como uma casa para mim. Gostaria de estar aqui para sempre.”

O significado do Arco Iris

Senti como Pedro sentiu, “façamos aqui três tabernáculos, e simplesmente fiquemos aqui. Este é o lugar para ficar.” Eu ouvi a Deus naquele chamado do lobo, chamando a sua companheira. Eu pensei, “Sim, Deus, este é Tu me chamando.” Eu ouvi o alce da mesma forma, vendo o arco-íris ali, eu pensei, “Arco-íris significa pacto. Tu és o Alfa e o Omega, o Princípio e o Fim, as duas pontas do arco-íris, Aquele que era e que há de vir, a Raiz e Descendência de Davi, a Estrela da Manhã, o Lírio do Vale, a Rosa de Saron.” Oh, que coisa, tudo que Ele era… E eu pensei, “No arco-íris, o pacto, como eles O viram em Apocalipse 1, ali visto como um arco-íris, como o primeiro e o último. Benjamin para… E de Rubem a Benjamim, primeiro e último e todos…” Isto apenas… a Escritura apenas se derramando, eu pensei, “Oh, Deus, Tu és tão grande. Tu és tão grande.” E eu comecei a pular para cima e para baixo, ao redor e ao redor daquela árvore fui eu, o mais que podia ir, simplesmente o mais rápido que eu podia ir, gritando, “Aleluia! Aleluia! aleluia! aleluia! Simplesmente correndo assim. Parei; e eu disse: “Oh, Deus, quão grande és Tu. Aleluia! Aleluia! Aleluia!”

Oh, eu estava como se fosse todo o Exército da Salvação lá em cima. E eu estava tendo um bom tempo. Não estava prestando atenção a ninguém. Ora, eu estava a 35, 40 milhas da civilização. Eu estava gritando ao Senhor. Não acham vocês que os batistas gritam? Vocês deveriam ter me ouvido. Então eu estava correndo ao redor daquele lugar, o mais rápido que eu podia, gritando louvores a Deus. Pensei, “Oh, quão maravilhoso. Como eu gostaria de ficar aqui, Senhor. Oh, se eu nunca tivesse que ter outra campanha, simplesmente ficaria aqui Contigo, até que Tu viesses e me levasse. Quão maravilhoso.” Mas, exatamente como Pedro e os outros estavam naquele dia, lá embaixo ao pé do monte havia um rapaz enfermo para ser curado. Então eu sabia que eu tinha que voltar em poucos dias.

E eu estava lá de pé. E de repente, um pequeno e velho esquilo de pinheiro (não sei se vocês os tem aqui ou não… Oh, eles são os policiais camisa azul das florestas, a coisa mais barulhenta que já ouvi, pulava em seu… havia uma velha farra lá embaixo, ele pulava para um toco, e começava, “Chilreava, chilreava, chilreava. Chilreava, chilreava, chilreava. Chilreava, chilreava, chilreava.” E eu pensei, “Por que está você tão agitado, pequeno companheiro? Ora, você não é suficientemente grande para fazer nada. Então por que está você gritando?” Eu disse: “Oh, que — por que você está se portando assim? Ou, eu te assustei? Se você não gosta disso, veja isto um pouquinho. Deixe-me te mostrar como eu realmente posso me comportar.” E ao redor, ao redor da árvore fui de novo.

O esquilo e a Águia

Eu pensei, “Gosta você disto?” Eu disse: “Oh, que coisa, o nosso Criador é maravilhoso. Você deve louvá-Lo.” Porém eu observei que ele não estava me olhando. Ele levantou a sua cabecinha para os lados, aquele olho estatelado em sua cara, vocês sabem, olhando assim para baixo. E após algum tempo, arrastando-se dali… O vento forçou descer uma enorme águia marrom . Oh, ela é um lindo pássaro. Eu gosto da águia. E ela pulou naquilo. E eu pensei, “Oh, era isto que era. Hum. Era por causa disto que você estava se portando daquela maneira. Você estava com medo daquela águia.” Aquela grande águia pulou lá em cima, e oh, que companheiro gigantesco. Seus grandes olhos cinzentos piscando… E eu pensei, “Senhor, por que — por que Tu chamaste a minha atenção do arco-íris, do lobo, e tudo isto, simplesmente para — para isto aqui? Bem, o que — o que há de religioso sobre aquela águia?” E eu pensei, “Eu não vejo nada de religioso naquele velho esquilinho. E eu não vejo nada de religioso na águia. O que há de religioso nela?”

Reconhecendo a presença de Deus

E eu comecei a observar. Eu pensei… Eu olhei para ela; eu disse: “Você sabe que eu poderia te dar um tiro?” Eu disse: “Aqui está o meu rifle; eu poderia atirar em você.” Ela sabia melhor do que aquilo. Aquilo não a incomodava nem um pouquinho. Eu pensei, “Você não está com medo de mim? Não ficou você com medo porque eu estava gritando daquele jeito? Aquele era o nosso Criador. Eu simplesmente O louvava. E você deveria também.” E eu apenas… Alguém entrasse ali na mata eles pensariam que havia uma pessoa demente ali. Mas não me importava. Eu estava tendo um bom tempo. Estava adorando o Senhor. Este é que é o problema com você, você tem muita formalidade e muito medo. Nós precisamos de Deus. Precisamos reconhecer que não há ninguém aqui a não ser eu e Deus. Isto é tudo. Isto é tudo. E isso é certo.

Começamos a querer saber, “O que é que os vizinhos vão dizer a meu respeito?” Bem, viva corretamente, e os vizinhos saberão o que está acontecendo de todos os modos quando eles estiverem com você. Então, eu ouvi aquele velho esquilinho, vocês sabem. E eu o observava ali. E com aquela águia… Pensei, “O que te faz ter tanta — tanta segurança em si mesma?” E comecei a observá-la. Ela ajeitava aquelas grandes asas, vocês sabem, suas penas, as arrepiava assim, vocês sabem, como se as estivesse ajeitando. Eu pensei, “Estou vendo. Hum. Você tem confiança em suas asas. Você sabe que antes mesmo que eu possa colocar a minha mão naquele rifle e trazê-lo ao meu ombro, você estaria naquela árvore lá e eu nem mesmo nunca mais te veria.” Vêem?

Confiança no poder de Deus

E pensei, “Se você pode ter tal confiança em suas asas, porque Deus te dá asas para escapar do perigo, quanto mais deve a Igreja de Deus ter no poder de Deus que pode fazer-lhe escapar da enfermidade, e doenças, e problemas, e morte, e inferno, e voar para Deus algum dia para os braços do Senhor Jesus.” Apenas… pensei, “Ela — Ela continua sentindo. Desde que ela possa sentir que suas asas estão em ordem, ela está bem. Ela sabia onde estava se firmando.” E embora o Espírito Santo possa cair sobre a igreja, e eles sairiam outra vez; “Oh, eu não sei. Se você orar por mim outra vez, talvez tudo dê certo.

Seja um Crente destemido

“Vêem? Isto é simplesmente…oh, que coisa, é terrível. Sim, isto… Eu a observei lá por um pouco de tempo. Vou te contar o que aconteceu com esta companheira. Eu a observei um pouquinho, olhando ali, e pensei, “Oh, eu te admiro. Eu Te vejo naquela águia, Deus.” E então depois de algum tempo, ela não estava com medo de mim, e ela viu que eu –.eu — eu — eu a admirava. Eu admiro qualquer coisa que tem algum — alguma força de caráter. Eu detesto ver uma pessoa ir a igreja e somente, oh, dá louvores e tudo mais, e quando sai tem vergonha de testificar na rua, tem vergonha de pedir a bênção sobre o alimento que ela come num restaurante.

O crente não tem medo nem é covarde

Oh, que coisa. Covardemente, Deus não pode usar a um covarde; Ele quer um homem. Ele deseja tirar fora aquele osso do peito das aves e colocar uma coluna vertebral ali. Como o velho Buddy Robinson disse: “Senhor, dá-me uma coluna vertebral do tamanho de uma serra de madeira. E coloque suficiente sabedoria na parede triangular da minha alma, e ajuda-me lutar com o diabo enquanto eu tiver um dente, para então mascá-lo até que morra.” Então este é o tipo de testemunho que todos nós devemos ter. Aquilo… Vocês recordem do Buddy Robinson, muitos de vocês, velhos irmãos Nazarenos?

Agora, eu — eu olhei para aquela velha águia e pensei, “Bem, você sabe, você é realmente um pássaro gracioso. Eu — eu gosto muito de você. Eu preguei sobre você muitas vezes.” E eu disse, “Eu — eu com certeza gosto muito de você.” Ela se cansou de ouvir aquele velho esquilo de pinheiro, “Chilreando, chilreando, chilreando. Chilreando, chilreando, chilreando.” Como se ela fosse dilascerá-lo. Ora, ele não poderia fazer nada; ele era muito pequeno. Ela se cansou daquilo, e simplesmente deu um grande salto, bateu cerca de duas vezes suas asas, e então eu chorei. Eu estava lá de pé e as lágrimas corriam pelo meu rosto, enquanto observava aquela águia. Como Deus a colocou ali para um propósito. Ela nunca fracassou com suas asas. Ela simplesmente foi acima da mata, umas duas vezes, então soube como ajustar suas asas naquele vento. E todas as vezes que vinha aquele jato de vento, ela ia um pouquinho mais alto, um pouquinho mais alto, e um pouquinho mais alto, até se transformar em um pontinho. Ela deixou aquele pequeno, velho, e terrestre esquilo de pinheiro ali de pé, “Chilreando, chilreando, chilreando. Os dias dos milagres já passaram. Não há tal coisa como o Espírito Santo. Tudo ali ….?… Este falar em línguas é totalmente errado. Não há tal coisa como o Pentecostes. Isto foi no passado há muito tempo atrás.” Ela simplesmente sabia como ajustar as suas asas no poder do vento. Como a igreja precisa saber como ajustar a sua fé no poder de Deus, não pulando de uma igreja para a outra, mas viajando na glória de Deus até que você ultrapasse estas coisas que se ouve como, “Os dias dos milagres já passaram. Não há tal coisa como o Espírito Santo.” Insensatez!

O que você pensa a respeito disto, senhora? Crê você que isto seja a verdade? Crê você nisto também, irmã? Se você crê, poderá sair desta maca nesta noite, se você quiser. Somente, não é ir a esta reunião, ir àquela outra, pedir para que este ore por você, este certo pregador, aquele outro evangelista: Simplesmente ajuste as suas asas. Ajuste a sua fé.
Mensagem pregada pelo profeta William Branham: A Ele ouvi – Parágrafos: 111-125.

Esta entrada foi publicada em Criador e criação e marcada com a tag , , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.