É melhor para mim viver um sermão do que pregar um

Eu simplesmente me sinto algumas vezes um pouco hesitante em me levantar, quando eu estou ouvindo testemunhos tão maravilhosos, e assim por diante, como eu tenho feito esta manhã. E, logo, um concidadão no sofrimento e perseguição, como pelo que nosso irmão e irmã batista têm passado; sendo anteriormente um – um batista, eu mesmo, um batista missionário, e – e sabendo o que significa quando seu povo…

Agora, se o seu coração tem sido limpo pelo Sangue de Jesus Cristo e tem se tornado um receptor daquele transmissor, Ele é o mesmo ontem, hoje e eternamente, e faz as mesmas coisas que Ele fez, porque a Sua Palavra não pode morrer. Elas vivem para sempre. Eles não têm que apanhar um aparelho ou daqui a vinte anos; nós a recebemos agora mesmo. Agora, aí está você!

Eu tive a mesma coisa. Meu próprio povo me expulsou, e eles decidiram me mandar embora porque eu tinha ficado louco. E eu descobri, e eu tenho normalmente dito isto como que numa maneira um pouquinho indireta: “Se eu estou louco, deixe-me em paz, porque eu estou mais feliz desta maneira do que eu estava com meu juízo perfeito”. Sim, senhor. Obrigado. Deixe-me… Assim que isto é de certo modo uma pequena filosofia que eu possuo, minha própria. E – e certamente tenho estado regozijando este – este tempo ao estar desta maneira.

E o irmãozinho da Igreja de Cristo aqui, como nós costumamos a nos referir a ela, ou campbellita. E eu me lembro que eles foram certamente duros golpeadores contra os encontros quando nós iniciamos no princípio. Porém, sabe, nós tivemos um chamado Paulo, uma vez, que era da mesma maneira, e ele se tornou um dos nossos. Assim que eu penso que o que normalmente eles procuram é a vida que você vive. Sabe, é melhor para mim viver um sermão do que pregar um, a qualquer hora.

Há algum atrás, um grande ministro, um bom homem do Evangelho pleno; todos – todos vocês o conhecem, eu suponho. É o Ver. Booth – Clibborn; prega o Evangelho em sete diferentes línguas. Ele é verdadeiramente inteligente. E eu… Ele é um gigante intelectual. E nós estávamos indo juntos uma vez, e ele e o Irmão Moore e eu, e nós estávamos ventilando algo. E eu conservava o lado oposto a ele, e ele olhou para mim. Ele disse: “O senhor simplesmente não conhece a sua Bíblia”. Você sabe como o Irmão Booth pode dizê-lo.

Eu disse: “Isto é verdade, Irmão Booth, mas eu conheço muito bem o Autor”. Então, eu – eu desejo… Você sabe, não é conhecer Sua Palavra que é Vida, porém: “é conhecê-Lo que é Vida”. Isso é correto. Está vendo? Quer eu conheça Sua Palavra; se tão – somente eu O conhecesse! E isso é certamente a Verdade.
Mensagem pregada pelo profeta William Branham – A divindade explicada – Parágrafos: 1-5. 

Para obter a mensagem completa, clique no link ao lado: DIVINDADE EXPLICADA

Esta entrada foi publicada em Cristianismo e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.