Jesus vem três vezes

Jesus vem três vezes. Ele veio, a primeira vez, para redimir a Sua Igreja. Ele vem, a segunda vez para receber a Sua Igreja. Ele vem a terceira vez, com a Sua Igreja. Tudo na Bíblia desloca-se em trindades, três, mas tudo no mesmo Cristo. Ele, lembrem-se, a primeira vez, para redimir a Sua Igreja; a segunda vez, para receber a Sua Igreja; a terceira vez, com a Sua Igreja, com Rei e Rainha.

Agora, todavia na Sua primeira vinda, da qual nós falaremos só um pouquinho, e depois a respeito Dele estar aqui; e depois sobre a Sua Segunda Vinda, ela, sobre ela; e então a respeito da terceira vez; se o Senhor quiser.

Agora, nestes dias, houve uma grande perseguição contra a igreja. César Augusto havia preparado um grande plano, que ele alistaria todo o povo. E isso foi somente realizando para um só propósito, para que a grande profecia de Deus fosse cumprida.

A única coisa que você em que fazer, quando você vê algo na Bíblia, que parece simplesmente um pouco místico e um pouco supersticioso, só dê a Deus um pouquinho de tempo. Deus não está com pressa. Nós somos os que estamos com pressa. Simplesmente dê a Deus somente um pouquinho de tempo, e você verá as velhas rodas da profecia, engrenarem, correrem bem rapidamente no filme. Desenvolver-se-ão justamente como a apresentação de um filme.

Cabana onde nasceu o profeta William Marrion BranhamComo alguém que estava falando outro dia, ele disse: “Deus, o que Ele era?” Quando Ele estava lá no passado, milhões e milhões de anos atrás, quando Ele nem era…apenas como este espaço aqui; e então Ele concentrou-Se no Logos; e depois veio do Logos, descendo para o interior de Cristo. Estão vendo! É Deus simplesmente descendo deste modo, para a terra, então voltando diretamente para Deus novamente. Não vêem vocês o que eu quero dizer? Simplesmente girando, descendo do espaço, da Eternidade; rodando juntamente, descendo para dentro do Logos; do Logos, aí para o interior do Homem, então retornando diretamente de novo. Para um propósito, para redimir esse homem que havia caído.

Agora, é para isso que Ele veio, para ser um Redentor. E antes que Deus pudesse ser um Redentor, Ele tinha que ser, de acordo com a lei, um Redentor. Ele tinha que ser nosso parente.

E Deus no princípio, fez o Seu primeiro homem, Ele o fez de espírito. E espírito é a parte invisível do homem, que você não vê. Agora, Deus fez o homem na Sua Própria imagem. Vocês estão me escutando? [A congregação diz: “Amém.” – Ed.] Muito bem! Deus fez o homem na Sua Própria imagem. “E Deus é um Espírito,” disse a Bíblia. E o primeiro homem que foi feito tinha o governo sobre toda a criação, exatamente como o Espírito Santo tem o governo sobre a Igreja hoje. Ele conduzia a criação. Ele guiava os animais.

Porém não havia nenhum homem para lavrar o solo, portanto Deus fez o homem do pó da terra. E esse homem, Ele podia lhe ter dado mãos como de um macaco, Ele podia lhe ter dado pés como de um urso. Seja o que for que Ele fez, Ele simplesmente o juntou e fez um homem. Porém este homem, Ele colocou este espírito imortal, que nunca morre, no interior deste homem, e ele veio a ser mais do que um animal irracional, ele veio a ser um homem.

Então este homem aqui, isso é o que eu acho que os ateístas e alguns deles ficam por aí, argumentando. Mas a hora tem chegando quando Deus tem irradiado a Sua Luz, eis uma hora aqui que, quando Deus está realizando coisas. Isso é correto. E por isso agora, quando eles argumentam: “Bem, os seus pés se parecem com os de um urso, e as suas mãos se parecem com as de um – um chipanzé ou um – um macaco, ou assim por diante,” e eles procuram dizer que a sua origem veio disso. Isso não tem nada a ver com isto.

Isto é o corpo de carne no qual Ele simplesmente está morando, como uma casa, isto vai voltar para o pó da terra. Porém o espírito é imortal; ele vem de Deus. Isso é a imagem de Deus. Deus é um Espírito.

Esse homem perdeu a sua origem no Jardim do Éden. Sua afinidade, comunhão com Deus foi cortada aí, por causa do pecado e incredulidade. Incredulidade no quê? Na Palavra de Deus. Um quadro foi pintado certa vez para Eva, e lhe disse quanto mais brilhante isto seria se ela simplesmente – simplesmente excluísse a Palavra de Deus, “examine aqui a razão.” Você não pode. Deus…

Há diferença entre a razão e a Palavra de Deus. E a Palavra de Deus é verdadeira; a razão é falsa. Você não pode concluir nada logicamente. Isso é certo. Nossa mente não é, veja você, não é suficientemente boa ou nunca será, para esquadrinhar a Eterna sabedoria de Deus. E, por isso, você não pode raciociná-La, você somente tem que crer Nela.

E de modo que o quadro foi pintado, lá no passado através de nosso primeiro pai e mãe, e eles caíram. E isso rompeu a relação com Deus, e foram lançados para fora do Jardim do Éden. Desde aquela hora, Deus começou a gritar para lá e para cá nos jardins, procurando o Seu – Seu filho perdido.

E então a única maneira que Deus então poderia alguma vez redimi-lo, seria fazer…descer e redimi-lo, Ele próprio; não numa outra, não mandar algum outro. Ele não podia enviar um Anjo; isso não estaria certo. Porém a única maneira que Deus poderia redimir o homem, era Ele mesmo descer para redimi-lo.

Se alguém pecasse aqui, e, que coisa, eu fosse o juiz disto, deste grupo de pessoas, e eu tivesse a jurisdição sobre todos vocês, e se eu…Se alguém pecasse, e eu dissesse: “Agora, eu…Irmão Graham, eu desejo que o irmão pague o preço.” Isso não seria justo. Se eu dissesse para o meu próprio rapaz para pagar o preço, isso mesmo assim não seria…?…justo. A única maneira que eu poderia ser justo, é eu mesmo tomar o seu lugar. E o quê? Eu fui o que pronunciou o julgamento, e então se desejar redimir o homem, eu mesmo tenho que tomar o seu lugar. Vocês ainda estão me escutando? [A congregação diz: “Amém.” – Ed.]

Agora, olhem, eu quero que vocês observem algo. Então quando isto, a única maneira que o Próprio Deus poderia redimir este homem, era descer e tomar o seu lugar. E isso era uma lei que foi dada por Moisés, de redenção, que isto tinha que ser através de um redentor parente; um homem que primeiramente fosse digno, um homem que valesse o preço, um homem então que desse o seu testemunho público e redimisse a herdade perdida de alguém que tinha caído. E, então, Deus foi digno. Ele desceu há cerca de mil e novecentos anos atrás, na forma de um bebê, nasceu numa manjedoura, fez sombra pelo Espírito Santo, não nasceu por desejo sexual. Ele foi Deus. O Sangue de Deus estava dentro Dele.
Mensagem pregada pelo profeta William Branham – A deidade de Jesus Cristo – Parágrafos: 40-55.

Para obter a mensagem completa, clique no link ao lado: A DEIDADE DE JESUS CRISTO

Esta entrada foi publicada em Divindade - Deidade e marcada com a tag , , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.