O Espírito Santo é nosso Mestre

Quando este filho nascia em uma casa, posicionalmente ele era um filho,
um filho do pai, mas agora, o que aquele pai fazia? Ele não tinha tempo para
estar com aquele filho único; seus negócios eram grandes. Então ele contratava
um tutor ou um criador, mestre. E ele procurava na terra até encontrar o tipo
correto de homem, porque aquele era o seu filho. E ele queria que aquele filho
crescesse corretamente, porque aquele filho herdaria tudo que ele possuía algum
dia. Mas, ele procurava por todos os lados, até que ele encontrava o tipo correto
de homem, não um destes homens que tentam colocar uma pena em seu
chapéu, que mente, ou, “Oh, seu filho está indo muito bem,” quando não estava.
E ele tinha que relatar o progresso daquela criança. Agora, aquilo era posicionar
um filho. Os ministros aqui compreendem e sabem o que estou falando, a
posição de um filho.

William BranhamPaulo em Gálatas e assim por diante, o posicionamento de um filho, no
Velho Testamento. .. Penso que King James teve essa idéia, dos tradutores
quando ele disse: “Na casa de meu Pai há muitas moradas.” Uma casa era um
domínio. E na casa do pai…. Como no Velho Testamento, na casa do pai, tinha
muitos servos. E ele ia a estes servos, não tendo tempo para ensinar o seu filho,
então ele tinha outra pessoa para ensinar por ele, um homem correto. E isto é o
que Deus estava mostrando-nos aqui naquilo que chamamos de Monte da
Transfiguração.

 

 

O que Ele mesmo estava fazendo. Deus nunca pediu ao homem para fazer
qualquer coisa que Ele Mesmo não fizesse.

Recordem disto. Deus nunca te pediria para fazer nada a não ser que Ele tivesse feito isto Ele Mesmo. Então, observe.

Agora, quando este filho estava começando a chegar à idade de ir a escola,
este tutor ia com este filho, e ficava com ele, e levava um relatório ao pai como
ele estava progredindo.

Se o filho era um — um — atrasado, sem capacidade de tomar conta dos
negócios de seu pai, então aquele tutor chegava envergonhado perante o pai e
dizia, “Senhor, sinto muito em dizer, mas o seu — seu filho não está indo muito
bem. Ele — ele simplesmente não; ele não quer aprender; ele não se importa.

Bem então, Deus, quando Ele deixou a terra aqui, Sua igreja, Ele escolheu
um tutor para Sua igreja. Ele levantou um Cultivador, Alguém que fosse honesto,
que carregasse a verdade, o tipo correto de Cultivador. Não era algum arcebispo,
ou papa, ou supervisor geral. Ele enviou o Espírito Santo para ser o Supervisor
e Tutor da igreja. Mas nós adotamos bispos e tudo mais para serem tutores da
igreja. Não é o programa de Deus.

O Espírito Santo é nosso Mestre. O Espírito
Santo é o Tutor da Igreja.

Nós adotamos toda espécie de idéia, todos os tipos de
escolas, e teologias e tudo mais, quando o Espírito Santo devia estar nos
dirigindo…
Mensagem pregada  pelo profeta William Branham: A Ele ouvi – Parágrafos: 49-54.

Para obter a mensagem completa clique no link ao lado: A ELE OUVI

Esta entrada foi publicada em Igreja e marcada com a tag , . Adicione o link permanente aos seus favoritos.